[Resenha] Adeus à inocência - Drussila Campbell

18 de dez de 2013
Adeus à inocência - Drussila Campbell
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632766
Ano: 2013
Páginas: 272 
Classificação:
Página do livro no Skoob
Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?
Resenha:
Com um pai morto e uma mãe que esquecera de preocupar-se com a filha, Madora era negligenciada e sentia-se só. Sem valor algum. Bebia, drogava-se e usava roupas cada vez mais curtas. Ela tinha 17 anos quando conheceu Willis Brock e teve sua vida mudada. Para melhor ou para pior, você só saberá ao ler essa estória por completo. Mesmo percebendo tarde demais que Madora estava perdida, ela alertou-a que havia algo errado em Willis, por trás daquele comportamento aparentemente afável, algo podre se escondia. Algo ruim.

A narração é feita por Madora em flashes, hora no presente, hora no passado. Isso nos possibilita conhecer a fundo a estória conflituosa de amor entre Madora e Willis. Cinco anos após se conhecerem, eles estão morando juntos em Ever Canyon, um local afastado no meio do deserto, onde a cidade mais próxima fica a 50 quilômetros de distância. Sem Tv, telefone, rádio, computador ou qualquer meio de comunicação que permita contato com o mundo exterior, Madora não percebe o quanto é prisioneira em sua própria casa. Ela simplesmente aceita e é grata por tudo. Madora não trabalha mais, sua rotina se resume em limpar, cozinhar e agradar Willis. Não que ela se importe, ela o ama e faria qualquer coisa por esse homem, por esse “amor”. Willis nutre nela o sonho de um casamento e uma família, mas o que Madora não percebe é que não tem controle algum sobre a relação dos dois, nem sobre si mesma. Sua opinião não importa e sempre que se impõe ou questiona algo, ela enfrenta acessos de raiva e acaba desistindo de qualquer coisa que queira ou pense.

Em uma noite chuvosa, Willis retorna do trabalho com Linda. Sem aviso algum ele trouxe uma mulher grávida para Madora cuidar. O plano consiste em realizar o parto e vender a criança. Dinheiro. Um parto realizado por Willis que mantinha um sonho de entrar na faculdade de medicina. Madora finalmente começa a perceber o quão grave é a situação quando Willis se recusa a libertar Linda após o parto, passando a mantê-la prisioneira, acorrentada. O relacionamento dos dois está cada vez mais frágil e pequenos detalhes despertam nela uma consciência e coragem a tanto tempo adormecida... Quem é esse homem que ela pensa conhecer mas não sabe nada de seu passado?

Paralelo a tudo isso temos o jovem de 12 anos Django Jones, membro de uma família extremamente rica, ele acaba de perder os pais em um acidente de carro e passa a morar com sua tia Robin.Sua vida muda completamente e apesar dos esforços da tia, ele não se encaixa em lugar algum. A saudade dos pais é avassaladora. Ao conhecer Willis, em um serviço de assistência médica domiciliar, e conversar com Madora ao descobrir sua casa, tão afastada de tudo, ele começa a perceber algo de errado. Django pode ser a única chance de um final feliz para essa trama.

“- Olha quem está falando, Linda. Sou eu quem vai sair do trailer em um minuto. Sou eu quem sabe a combinação do cadeado.
- Então? Por que você não o deixa? Se é tão livre, por que não começa uma vida? “
Trecho adaptado da página 118

As mudanças de comportamento, boas e ruins, que acontecem nos personagens durante a trama deixam a leitura deliciosa. Se eu tive raiva e fiquei incrédulo em diversos trechos? Com certeza. Se eu torci por um final feliz e respirei fundo quando as coisas não acabavam bem? Sem dúvidas. É uma boa estória mas senti falta de aprofundamento em alguns aspectos, talvez pela expectativa ao ler a sinopse. Willis não é tão insano assim e Madora fica à margem da solidão. O enrendo poderia crescer de forma gritante e ser algo chocante mas se mantêm nas beiradas. O desfecho é revoltante por diversos motivos e o livro é um alerta vermelho. Dá pra imaginar quantas pessoas vivem situações parecidas? Passivas e presas em estados de torpor, conformadas sem perceber o quanto a vida pode ser melhor. O quanto a vida pode ser vivida. Algumas têm sorte, outras nem tanto. O que a vida espera da gente é um pouco de coragem... 

5 comentários:

  1. Eu gostei da história, e o fato de você dizer que o desfecho é revoltante chama logo a atenção pra saber o porque e tudo mais o que aconteceu, mas não me senti atraída o suficiente por tudo pra ter vontade de ler! :/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Hummm, parece interessante. A capa passa muita coisa, adorei.

    ResponderExcluir
  3. Esse era um livro que não sabia o quê esperar da trama, mas depois de algumas resenha lidas este é um dos livros que estão na minha lista de próximas leituras. E sua resenha me deixou ainda mais curiosa. Ótima resenha.
    Espero poder conferir em breve!!

    ResponderExcluir
  4. Rapaz, sua resenha me deixou sem folego, sério... Quero ler este livro LOGO. E não gostei da sinopse, sei lá pq, mas se fosse só por ela não teria vontade nenhuma em mergulhar nesta leitura.
    Vou te falar de novo, você vai me levar à falência... kkkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  5. Cara, não tinha vontade de ler o livro, não tinha gostado da capa e pensei que falava de outra coisa. Sua resenha me deu uma nova visão da história, e fiquei louca pra ler.

    ResponderExcluir

Não esqueça de dar sua opinião nesse espaço.Seu comentário é muito importante.
O QUE ACHOU DESSE POST?

Resenhas

Alien - Alan Dean Foster
A tripulação da nave Nostromo é despertada antes do tempo de seu sono criogênico. Misteriosos sinais vindos dos confins do espaço são recebidos pelo computador de bordo, e a equipe é acionada para...
Star Wars: Um Novo Amanhecer - John Jackson Miller
Desde os terríveis acontecimentos em STAR WARS - Episódio III: A vingança dos Sith, quando todos os Jedi foram perseguidos e condenados à morte, Kanan Jarrus tem...
Eu, Robô - Isaac Asimov
Eu, robô reúne os primeiros textos de Isaac Asimov sobre robôs, publicados entre 1940 e 1950. São nove contos que relatam a evolução dos autômatos através do tempo, e que contêm em suas páginas, pela...
Nosferatu - Joe Hill
ictoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa...

RESENHAS MAIS ANTIGAS

LEIA MAIS

Resenhas

Só por Hoje e para Sempre - Renato Russo
Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante...
Espinho de Prata - Raymond E. Feist
Durante quase um ano, a paz reinou nas terras encantadas de Midkemia. Porém, novos desafios aguardam Arutha, o Príncipe de Krondor, quando Jimmy, o mais jovem...
Roleta Russa - Jason Matthews
Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de...
A Desconhecida - Peter Swanson
Uma história sombria, em uma atmosfera romântica e um quê de Hitchcock, sobre um homem que fora arrastado para uma trama irresistível de paixão e assassinato quando um antigo amor reaparece em uma noite de...

MAIS LIDAS

LEIA MAIS