[Resenha] Paperboy - Peter Dexter

11 de ago de 2013
Paperboy - Peter Dexter
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632186
Ano: 2013
Páginas: 336
Classificação: 
Página do livro no Skoob

Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James.As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes.
Resenha:
O xerife do condado de Moat, Thurmond Call era famoso por diversas razões, nem sempre boas, por todo o estado. Quando ele foi encontrado morto após matar Jerome Van Wetter a chutes, ninguém ficara surpreso quando uma semana após sua morte, um primo de terceiro grau de Jerome, Hillary Van Wetter, fora preso acusado do crime e condenado a morte. A fama de Hillary também não era das melhores, os Van Wetter cuidavam de si mesmos e ele era conhecido como o membro mais feroz da família. Uma família bastante estranha por sinal, eu terminei essa leitura tendo a certeza que os hábitos cultivados pelos Van Wetter são os mais esquisitos possíveis. No entanto para Charlotte Bless, Hillary era o tipo de homem perfeito para se casar, ela tinha um certo fascínio por assassinos, passara sua vida escrevendo cartas para criminosos que estavam presos em celas e que só pensavam em quão grandes seriam os peitos daquela donzela que mantinham um "relacionamento a distância". Quando Hillary aparecera no jornal pela primeira vez, Charlotte tivera a certeza que ele era inocente. Não sei se posso chamar isso de amor mas de fato, ele cega as pessoas. Baseada em poucos indícios ela vai atrás dos jornalistas protagonistas dessa estória, Ward James e Yardley Acheman para tentar solucionar o caso e tirar Hillary de trás das grades antes que ele seja executado.

O livro é narrado pelo irmão de Ward, Jack James e apesar de estar sempre presente, ele não acrescenta muita coisa a estória. Ele foi expulso da faculdade e agora trabalha como entregador do jornal Tribune, onde seu pai é dono. O hábito de nadar é característica de Jack e infelizmente será responsável por um momento trágico nas últimas páginas do livro. Chegamos ao foco central do livro, o que o deixa tão fascinante, Paperboy não é um livro policial, o suspense não faz parte de suas páginas apesar de ser um thriller com seus momentos tensos. Paperboy é um livro sobre ética, sobre jornalismo a cima de tudo. O livro tem seu próprio ritmo e chega a ser belo de tão estranho, após terminá-lo você perceberá questões não resolvidas porém resolvidas entre as entrelinhas. Ward, Yardley, Charlotte e Jack irão em busca de pistas e descobrirão uma série de furos e deslizes gritantes na forma em que Hillary foi julgado. Em certos momentos a leitura parece não dar em lugar algum já que uma série de coisas acaba não dando certo para os personagens. Quando a questão principal é resolvida ainda encontraremos vários capítulos para os mesmos resolverem suas vidas.

Ward é introspectivo, focado e sem talento para o diálogo. Em diversos momentos sua paciência aliada a sua insistência serão irritantes sem permitir que você deixe de se encantar com sua personalidade. A única coisa na qual ele era bom nasceu da falta de um talento. Ele não precisava da bondade alheia para continuar em frente. Yardley é odiável, questionei sua credibilidade como jornalista durante todo o livro, seus atos são repugnantes, seu caráter questionável e com certeza o personagem que menos simpatizei, se escora no trabalho de Ward e mantém um ego inflado demais. Desde o início vamos entender que ninguém além de Charlotte está interessado em justiça por Hillary, tudo que Ward deseja é terminar o que começou  e colocar tudo no papel. Isso é amor a profissão. Hillary é um bandidinho irritante que não está disposto a ajudar nem a si mesmo, quando Charlotte passa de mulher fatal a submissa perde todo seu encanto. A forma como a estória dos dois termina é revoltante.

Paperboy é fabuloso a sua forma, repleto de personagens marcantes, Seguindo um ritmo próprio, o enredo me prendeu do início ao fim. Mais uma leitura favorita desse ano. Leiam!

14 comentários:

  1. Ó, esse está certamente entre os top 5 desejados. Bela resenha. Tenho vontade de ler todos os livros resenhados e ficar horas discutindo sobre eles e tal, mas daí quando consigo ler ninguem mais lembra dos livros ahaha

    ResponderExcluir
  2. Juro que ao ver a capa desse livro, imaginava um enredo de garotos conquistadores e coisas do tipo. Confesso que me surpreendi com a resenha. É um livro que contém investigações, coisas que prendem o leitor. E isso é uma característica mega-importante em um livro!

    ResponderExcluir
  3. Oláá :)


    Gostei bastante da resenha, é o tipo de livro que me atrai. Com certeza vou querer lê-lo :)

    Beijos,
    http://acciobks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Quando vi essa capa, fiquei louca p ler *-*
    e mesmo que nao goste do livro iria adorar tê-lo na minha estante por causa da capa ^^.

    sonholiterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei desse livro por que já tinha lido outros livros desse autor.

    ResponderExcluir
  6. Curti ^^ parece ser bom, já deu pra perceber que tem foco na personalidade dos personagens...
    eu jurava que era um romance policial, mas ainda bem que você explicou aí na resenha que é diferente

    ResponderExcluir
  7. Sou a única que não se interessou tanto por Paperboy? Achei o enredo fantástico, a capa linda e o autor é bom. Mas não sei, tem algo que não me instiga nesse livro. Poxa :c

    ResponderExcluir
  8. Adorei!! Com certeza vou gostar da leitura!
    Gosto muito desse tipo de personagem, mais marcante digamos assim.

    Bjkas

    Lelê Tapias
    topensandoemler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Não me interessei muito por esse livro nao, mais como havia mencionado, quem sabe um dia né, to começando a onda literária agora.

    ResponderExcluir
  10. Boa resenha,quero mto ler esse livro.Achei a história fantástica :)

    ResponderExcluir
  11. Estou louca para ler esse livro desde que soube sobre a existência dele. Confesso que a capa me chamou muito a atenção. Mas a história parece ser realmente boa. Espero ter a oportunidade de lê-lo logo!
    Beijos....

    ResponderExcluir
  12. Não sei como vai ser quando ler, se ler, mas ainda não senti firmeza nessa trama. Tem de conferir pra saber, só que de resenha me deixa curiosa e não curiosa, coisa mais estranha... A trama não chamou muito atenção mas gostaria de conferir pra ver como é eu mesma.

    ResponderExcluir
  13. Eu penso o contrário da Ingrid Joyce aí de cima! Esse é o ator de High School Musical na capa?? Sério, é incrível como uma capa que não me atrai faz eu perder todo o interesse por um livro!

    www.centraldaleiturablog.blogspot.com

    ResponderExcluir

Não esqueça de dar sua opinião nesse espaço.Seu comentário é muito importante.
O QUE ACHOU DESSE POST?

Resenhas

Alien - Alan Dean Foster
A tripulação da nave Nostromo é despertada antes do tempo de seu sono criogênico. Misteriosos sinais vindos dos confins do espaço são recebidos pelo computador de bordo, e a equipe é acionada para...
Star Wars: Um Novo Amanhecer - John Jackson Miller
Desde os terríveis acontecimentos em STAR WARS - Episódio III: A vingança dos Sith, quando todos os Jedi foram perseguidos e condenados à morte, Kanan Jarrus tem...
Eu, Robô - Isaac Asimov
Eu, robô reúne os primeiros textos de Isaac Asimov sobre robôs, publicados entre 1940 e 1950. São nove contos que relatam a evolução dos autômatos através do tempo, e que contêm em suas páginas, pela...
Nosferatu - Joe Hill
ictoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa...

RESENHAS MAIS ANTIGAS

LEIA MAIS

Resenhas

Só por Hoje e para Sempre - Renato Russo
Entre abril e maio de 1993, Renato Russo passou vinte e nove dias internado numa clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. Durante...
Espinho de Prata - Raymond E. Feist
Durante quase um ano, a paz reinou nas terras encantadas de Midkemia. Porém, novos desafios aguardam Arutha, o Príncipe de Krondor, quando Jimmy, o mais jovem...
Roleta Russa - Jason Matthews
Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de...
A Desconhecida - Peter Swanson
Uma história sombria, em uma atmosfera romântica e um quê de Hitchcock, sobre um homem que fora arrastado para uma trama irresistível de paixão e assassinato quando um antigo amor reaparece em uma noite de...

MAIS LIDAS

LEIA MAIS